Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Home
Empresa
Contato
Home > História
História
  
Apresentação
Governança
História
Prêmios
Responsabilidade social

O surgimento da Mendes Júnior está diretamente ligado ao desenvolvimento e ao crescimento do Brasil. Em sua trajetória, a empresa acumula mais de 1 milhão de colaboradores, 40% do potencial hidrelétrico instalado no  País, 14 mil quilômetros de rodovias, ferrovias, linhas de metrô, refinarias, plataformas petrolíferas e incursões em países com culturas distintas.

1953
O início
Engenheiro Dr. José Mendes Júnior anuncia a criação da empresa, fundada em Belo Horizonte, Minas Gerais.
1957
Hidrelétrica de Furnas
A Mendes Júnior é convidada a erguer o núcleo de argila da barragem de Furnas, em Minas Gerais. A inauguração ocorreu na década de 1960, e atualmente a hidrelétrica fornece energia para uma região equivalente a 51% dos domicílios do Brasil. Por meio desse projeto, em um cenário antes dominado por empresas estrangeiras, a organização abriu caminho para empresas brasileiras executarem obras desse porte no país.
1960
Período de expansão
Com a retomada de investimentos em industrialização e infraestrutura no Brasil, entre 1966 e 1972, a Mendes Júnior construiu as hidrelétricas de Cachoeira Dourada (divisa entre Goiás e Minas Gerais), Rio da Casca III (Mato Grosso), Jaguara (divisa entre Minas Gerais e São Paulo) e Boa Esperança (Piauí). Em Vitória (Espírito Santo), entregou o projeto do Porto de Tubarão, o maior do mundo em exportação de minério de ferro.
1969
Usina Hidrelétrica de Santa Isabel (Bolívia)
Nesse ano, teve início a atuação internacional da Mendes Júnior. Construída entre 1969 e 1973, a Usina Hidrelétrica de Santa Isabel fica na cidade de Cochabamba, na Bolívia. A construção fez da Mendes Júnior a primeira empresa brasileira a trabalhar em uma obra financiada pelo Banco Mundial no exterior e exigiu escavação de 5.500 metros de túneis sob a Cordilheira dos Andes.
1971
Ponte Rio-Niterói
Uma das mais conhecidas obras de grande porte da Mendes Júnior, a ponte Rio-Niterói foi desenvolvidade em consórcio com as empresas Camargo Corrêa e Rabelo, de 1971 a 1974. Ao todo, são 13.900 metros, dos quais 8.900 sobre o mar. Foram utilizados 455.000 m³ de concreto, e a mão de obra de 12.500 trabalhadores.
1972
Rodovia Transamazônica
Em projeto idealizado no Plano Nacional de Desenvolvimento (PND), a Mendes Júnior foi responsável pela construção de 646 quilômetros dos 1260 quilômetros da primeira etapa da rodovia. O maior desafio era o alto índice de chuvas; em certos trechos, pela dificuldade de acesso, os alimentos para os funcionários foram arremessados por avião.
1973
Hidrelétrica de Itaipu
Tem início o desenvolvimento da Hidrelétrica de Itaipu, então a maior usina geradora de energia do planeta. A Mendes Júnior foi uma das líderes desse grandioso projeto, que hoje fornece quase 20% da energia consumida no Brasil e mais de 70% da consumida do Paraguai.
1975
Rodovia na Mauritânia
A Mendes Júnior assinou o maior contrato de toda a África na época e construiu a principal rodovia da Mauritânia, no Noroeste da África. A obra tem 600 quilômetros e liga a capital, Nouakchott, a Kiffa, considerada a capital industrial do país. Um dos maiores desafios foi o fato de a rodovia atravessar o deserto do Saara, em condições climáticas e geológicas adversas. Com competência, criatividade, tecnologia e qualificação, a empresa venceu uma concorrência entre oito grupos e entregou o projeto 112 dias antes do prazo previsto, em 1979.
1976
Pioneira em offshore
A presença da Mendes Júnior no segmento offshore teve início com a construção da plataforma de Ubarana (1976). A partir daí, a empresa consolidou sua atuação construindo plataformas como as de Pampo (BA), Camorim (SE), Carapeba (BA / RJ) e Pargo (BA), entre outras. A empresa atua também com manutenção offshore.
1978
Ferrovia no Iraque
Naquele ano, a Mendes Júnior iniciou a construção da Ferrovia Baghdad-Akashat-Alqaim, que liga essas três importantes cidades do Oriente Médio. Os cerca de 515 quilômetros buscavam ligar a capital do Iraque (Baghdad) à cidade de Al Qaim, na fronteira com a Síria, e seguir até a mina de fosfato de Akashat, na Síria. Em 1985, foi entregue ao Ministério de Transportes do país a ferrovia Baghdad-Akashat, projeto no valor de US$ 1,3 bilhão.
1981
Expansão no Oriente Médio
Além da ferrovia iraquiana Baghdad-Akashat, iniciada no fim da década de 1970 e entregue em 1985, a Mendes Júnior foi contratada para a construção da rodovia Expressway no Iraque, entre 1981 e 1986. Também foi responsável por uma nova estação de bombeamento no histórico Rio Eufrates, no chamado Projeto Sifão, iniciado em 1984. Esses três grandes projetos demandaram um gigantesco e complexo planejamento logístico e consolidaram a empresa no mercado de construção pesada internacional. Nessa época, eram cerca de 10 mil trabalhadores brasileiros vivendo em 725 casas e 744 acomodações, além da disponibilidade de hospital, escolas, supermercado e clube, especialmente construídos pela Mendes Júnior. Conheça mais sobre esta história no livro Quebra de Contrato (Editora Folium) e no site www.quebradecontrato.com.br
1983
Edificações e Projetos no Sudeste
Em busca de novos mercados, em 1983 surgiu a Mendes Júnior Edificações, especializada em construção civil e empreendimentos imobiliários. Pouco depois, a organização iniciou obras no metrô de São Paulo. Nessa cidade, construiu o Memorial da América Latina, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e entregue em 1989. A empresa executou ainda o projeto do Sambódromo do Rio de Janeiro, de autoria de Niemeyer, inaugurado em 1984. No mesmo período, a Mendes Júnior trabalhou na Plataforma de Pampo (offshore), localizada na Bacia de Campos (RJ), no Estado do Rio de Janeiro, e construiu o Aeroporto Internacional de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG).
1985
Siderúrgica José Mendes Júnior
Em Juiz de Fora (MG), a empresa inaugurou a Siderúrgica José Mendes Júnior, obra de destaque tecnológico no setor.
1989
Chegada ao Chile
A busca agora era por reforçar presença no mercado sul-americano. Em 1989, a Mendes Júnior iniciou suas operações no Chile, com a expansão da mina de exploração de cobre de Los Bronces, a apenas 60 quilômetros da capital, Santiago.
1990
Foco em óleo e gás
Enquanto a Mendes Júnior desenvolvia projetos no exterior, a presença nacional intensificou o foco de atuação em projetos de petróleo e gás. Em contratos com a Petrobras, a empresa atuou no Centro de Negócios de Macaé (Rio de Janeiro) e em projetos como os gasodutos Gasfor (Bolívia-Brasil), Cabiúnas-Barra do Furado (Rio de Janeiro), Adutora Guandu-REDUC(Rio de Janeiro), Unidade de Processamento de Gás Natural-UPGN (Alagoas), além de obras nas unidades da REDUC e da REFAP (Rio Grande do Sul).
1991
Negócios industriais e infraestrutura
Os anos 90 foram importantes para reforçar a atuação no setor industrial, como em projetos em parceria com a então Companhia Vale do Rio Doce, hoje Vale. Nesse período, a Mendes Júnior destacou-se em projetos de construção no Porto Vila do Conde e no Mineroduto Rio Capim Caulim, ambos em Barcarena, no Pará. Também foi responsável por obras como o Trem Metropolitano de Belo Horizonte e, em São Paulo, pela Unidade Sesc-Pinheiros (SP) e pela despoluição da calha do rio Tietê.
1994
Hidrelétrica na China
A Mendes Júnior fez história ao assinar o primeiro contrato de construção de uma empresa brasileira na China. O desafio foi construir a barragem e realizar a montagem eletromecânica do vertedouro da Usina Hidrelétrica de Tianshengqiao I (TSQ – I). Atualmente, é a segunda maior barragem de enrocamento com face de concreto (BEFC) do mundo e a maior da Ásia.
1994
Expansão no Chile
Nos anos 90, a Mendes Júnior consolidou sua presença no Chile. A empresa foi responsável por projetos no Metrô de Santiago (1994-1999), pelo mineroduto de Collahuasi (1997-1998), pela estação de tratamento de água de La Florida (1998-1999), pelos túneis Corrales (1997-1999) e pela barragem de Puclaro (1996-2000).
2004
Certificação
A Mendes Júnior foi a primeira empresa da América Latina a conquistar a certificação integrada nas normas ISO 9001 (Qualidade), ISO 14001 (Meio Ambiente), SA8000 (Responsabilidade Social) e OHSAS 18001 (Segurança e Saúde Ocupacional). Em 2007, a empresa obteve a recertificação integrada nessas normas, conquista repetida em 2010 e em 2013.
2008
Marco da capital paulista
A Mendes Júnior participa da construção da Ponte Estaiada, Octavio Frias de Oliveira, a primeira do mundo com duas pistas em curva, cada uma com 1.200 metros de comprimento, sendo 290 metros sustentados pelos cabos e suportadas por um mesmo mastro. A tecnologia de engenharia empregada merece destaque em função da complexidade dos detalhes.
2010
Consolidação no Centro-Oeste, Norte e Nordeste
Uma das conquistas no Centro-Oeste é a construção da Arena Pantanal, em Cuiabá (Mato Grosso), uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. No Nordeste, a Mendes Júnior constrói a Hemobrás, em Goiana (Pernambuco), primeira fábrica de hemoderivados do Brasil e a maior da América Latina. A empresa também participa da duplicação da BR-101, em Pernambuco, e no projeto de irrigação dos Platôs de Guadalupe, no Piauí. No Sudeste, é inaugurado o trecho sul do Rodoanel Mário Covas, em São Paulo. Foi inaugurada também a Cidade Administrativa Tancredo Neves, nova sede do Governo de Minas Gerais – outro projeto desafiador do arquiteto Oscar Niemeyer executado pela Mendes Júnior.
2013
60 anos
No ano em que completa 60 anos, a Mendes Júnior está presente em todas as regiões do País, com mais de 35 projetos em andamento. Dentre eles está o projeto de Integração do Rio São Francisco, conjunto de obras que vai levar água para o sertão nordestino. A empresa é responsável por construir 3 estações de bombeamento em Pernambuco e pela Meta 1 Norte, obra que inclui um trecho de cerca de 130 km de canal, desde a cidade de Cabrobó (PE) até Jati (CE). A empresa inicia também as obras do lote 1 do trecho Norte do Rodoanel Mário Covas, em São Paulo (SP).